UMA BIBLIOTECA VIVA E ATENTA Email: lajeosadodao@sapo.pt/bibliotecalajeosa@gmail.com
Quinta-feira, 22 de Novembro de 2007
Dia do Não Fumador



Como sabem eu vivo aqui nesta pequena mas acolhedora biblioteca. E gosto imenso de a ver cheia de pessoas a consultar livros, a Internet, a ver ou ouvir cd’s ou dvd’s, ou simplesmente a visitar este espaço (é assim que se aprende a gostar dele… e quando nos entra no sangue é certo que nunca de cá sai…). E é por isso que os fins-de-semana me deixam triste, aqui sozinha a olhar para os livros quietos, os computadores mudos e o silêncio de quem está ausente a ecoar-me na cabeça. Assim, este fim-de-semana resolvi sair e observar um pouco do mundo à minha volta. Gosto, acima de tudo, de observar as pessoas. Tentar compreendê-las um pouco melhor (o que às vezes me parece cada vez mais difícil).


Quando cheguei lá fora apercebi-me que, por qualquer razão, o ar me parecia mais puro do que era habitual. Por momentos fiquei radiante! Todos tinham percebido o significado da data que se comemorava! O Dia do Não Fumador. Iam finalmente reduzir-se o número de crianças e adultos com problema respiratórios crónicos e cada vez mais graves, e mesmo o número de doentes com cancro do pulmão. Todos tinham percebido que o seu direito ao fumo jamais podia colidir com o direito dos outros ao ar puro…


Infelizmente o dia seguinte fez-me regressar à realidade. O Homem é assim - um ser estranho… é capaz de almejar os maiores feitos, mas muitas vezes esquece-se  que são os pequenos passos que damos todos os dias que nos permitem atingir os grandes desígnios. Tão depressa é capaz de assinalar uma data tão importante como esta, como no dia seguinte a esquece e regressa aos comportamentos que o vão destruindo pouco a pouco. Decididamente não compreendo a razão pela qual custa tanto ao ser humano entender que não basta comemorar um dia com pompa e circunstância se a prática  do dia a dia nega tudo o que se assinala nessa data.


Voltei para a minha biblioteca com estes pensamentos a rodopiar num turbilhão na minha pequena cabeça… Tinha de fazer algo! E foi assim que no dia seguinte recebi todos os meus amigos na escola com uma série de imagens, palavras e actos que visam relembrar todos que o nosso futuro depende de cada um de nós. É certo que cada um é apenas uma gota no oceano… mas nenhum oceano existiria se todas as gotas não se juntassem para lhes dar vida. 



publicado por lajeosadodao às 15:04
link do post | comentar | favorito
|

2 comentários:
De Lúcia a 22 de Novembro de 2007 às 16:43
Pois é, Bli! A vida é feita de pequenos nadas...Aos poucos, os nossos alunos irão perceber que o caminho faz-se caminhando, mas que em cada esquina espreitam imensos perigos... Importa estarem conscientes das dificuldades da vida e não se deixarem ir ao reboque do que os outros fazem ou das modas! Aprender a ser é isso mesmo. A escola serve mesmo para isso: mostrar o caminho mais correcto e ensinar a lidar com as ferramentas do conhecimento. Depois, cada um faz o seu percurso, da melhor forma que puder e que, sobretudo, entender!
Continua a insistir nestes temas! Devagar se vai ao longe!


De edu a 22 de Novembro de 2007 às 19:25
De facto, é preciso dar tempo ao tempo para que o não fumar seja a regra, a moda a seguir. Por vezes vejo filmes realizados há bem pouco tempo em que os actores aparecem em todas as cenas a fumar, ou prestes a acender um cigarro. Hoje já não é assim... São raras as cenas em que entram cigarros.


Comentar post

mais sobre mim
As Horas
pesquisar
 
Janeiro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


posts recentes

Entrega dos prémios do co...

Dia Mundial da Paz

Aventura no carro encarna...

“Indo eu, indo eu a camin...

arquivos
links
Seguidores

Moodle BE (entrar como Visitante)

Wikipédia Portugal

ebook+ebook

Conversas com o Outono

Direitos Humanos

Os números

Biografia de Luísa Ducla Soares

Mulheres na República

Meninos de outra escola

álvaro Magalhães

Acordo ortográfico com bonecos

Rede de Bibliotecas de Tondela